Precisa de ajuda com seu atendimento?

Você não precisa ser aceita por todo mundo.

Nem Jesus conseguiu agradar a todos não é mesmo? Mas porque será que ficamos presos a essa necessidade de querer ser bonzinho(a) ser reconhecido, “validado”, essa vaidade nos persegue. Quem nunca caiu nessa armadilha que atire a primeira pedra. “Vou provar pra a minha família que sou capaz, vou mostrar para aquela pessoa que sou muito melhor do que ela pensa. É natural nos importarmos com o que as outras pessoas pensam a nosso respeito e em certa medida isso vai formando nossa personalidade. E todos nós concordamos que é muito legal ser reconhecido. O que pega é ficarmos escravos disso, só faço tal coisa para receber, aplausos, elogios, likes a aceitação e o amor do outro. Essa ânsia em querer agradar para então ser aceito esconde o que? Investigue aí dentro o que está por trás disso? Carência, insegurança, complexo de inferioridade? E quando tentamos agradar estamos reforçando essas faltas, não é louco?

Porque quando você está fazendo algo conectada a sua essência, na sua energia, aquilo transborda e as pessoas percebem tem uma energia carismática, verdadeira. A possibilidade das pessoas reconhecerem é maior. Agora se for uma vontade infantil de se afirmar só a partir da validação do outro, o outro também percebe, então a possibilidade de reconhecerem é menor porque está partindo de uma falta e quando não obtemos reconhecimento a carência, a insegurança, aumentam por isso paradoxalmente reforçamos a falta.

Ser guiado pelo medo de ser rejeitado -” Tenho que fazer isso porque se não o que vão pensar de mim?” Você já está se rejeitando, se anulando. Mas quando fazemos algo natural que é o transbordamento da alma, uma pessoa já será agradada você mesma.

Agir para agradar o outro é o mesmo que aprisionar a expressão sincera da sua alma.
Por isso para devolver nossa autenticidade, e liberdade de sermos quem somos é muito importante nos libertarmos desses padrões de vozinhas internalizadas que dizem “- Você só será suficiente quando tiver, fizer isso ou aquilo,”. Você já é suficiente, só de existir você já tem valor. Tá difícil de acreditar? Tudo bem, no inicio é assim mesmo, mas tem uma chave que pode te ajudar a se conectar com a sua alma é se perguntar: – Quem eu sou pra Deus? Quem eu sou pra o meu anjo da guarda? Acesse a preciosidade de ser quem você é!

#medite #autoconhecimentoliberta

Dayana Teixeira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *